Anterior

Justiça Eleitoral divulga a partir do dia 20/2 listas de eleitores que não votaram nos três últimos pleitos

08/02/2019

Anterior

Próxima

Anatel reduz tarifas das ligações de telefones fixos para celulares

08/02/2019

Próxima
08/02/2019 - 09:23
Sesau garante saúde física e mental aos servidores de Ambulatório 24h
Por: Marcel Vital
 Foto: Carla Cleto 

O Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), através do Núcleo de Atenção à Saúde e Segurança do Servidor (NASS) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), implantou nesta quinta-feira (7), no Ambulatório 24h Dom Miguel Fenelon Câmara, localizado no bairro Chã da Jaqueira, o atendimento qualificado aos profissionais da unidade, cujo objetivo é assegurar a saúde física e mental e a valorização dos servidores.

De acordo com Lucy Braga Tenório, médica do trabalho da Sesau, a implantação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) na unidade foi elaborada com base no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), que tem como propósito sistematizar informações a respeito das atividades desenvolvidas e possíveis riscos aos quais os trabalhadores estão expostos em seu ambiente de trabalho por meio da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle das ocorrências de riscos existentes ou potenciais no ambiente de trabalho.

“Para que pudéssemos estar aqui, hoje, realizando os atendimentos, a equipe do SESMT veio antes para verificar sob quais riscos o servidor estava exposto. A partir disso, foi feito um programa e isso precisou ser seguido pela unidade, onde tivemos o apoio da direção e dos servidores, a fim de que viéssemos realizar os exames periódicos. Porque, de acordo com os dados do PPRA, faz-se o PCMSO, que está sendo feito por um médico do trabalho”, explicou Lucy Braga.

Para a realização do Programa, o SESMT conta com profissionais da área de saúde – um médico do trabalho e um engenheiro da segurança do trabalho. Segundo a médica do trabalho da Sesau, as análises laboratoriais são feitas pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Alagoas (Lacen), na Jatiúca, enquanto a audiometria, exame que define o menor limiar de audibilidade individual em frequências, é realizado pelo Centro Especializado em Reabilitação III da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (CER/Uncisal), no Trapiche da Barra.

“Com esses exames em mãos, temos o prazo de três meses para emitir o ASO [Atestado de Saúde Ocupacional], um documento de avaliação médica pelo qual se avalia e constata o estado de saúde do trabalhador, verificando se o mesmo está apto ou não para realizar suas atividades na empresa”, garantiu.

Conforme Galba Nogueira, engenheiro de Segurança do Trabalho da Sesau, quando o servidor é considerado inapto para determinada função, o mesmo é encaminhado para a Junta Médica, onde é feita toda a avaliação e readaptação do trabalhador. “O servidor continua exercendo sua função em outro setor, desde que sejam respeitadas as restrições prescritas pelo médico, ou, a depender do caso, ele pode se aposentar”, salientou.

O Programa prevê também palestras, desenvolvimento de campanhas, orientações e cartilhas informativas. O serviço já foi implantado no Hemocentro de Alagoas (Hemoal), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Maceió e Arapiraca, Hospital Ib Gatto Falcão, Lacen, Clínica Infantil Drª. Daisy Breda e Ambulatório 24 horas João Fireman.

Beneficiada – Para Lúcia Maria Perciano, 53, que trabalha há 18 anos no ambulatório como coordenadora da área de assistência social, a iniciativa consegue estimular a prevenção e a qualidade de vida do servidor. “Prevenir é o melhor remédio! E para quem trabalha na área da saúde, isso é importante demais, pois, como a gente vai cuidar do outro, se a gente não se preocupa em ficar bem? Achei a iniciativa muito válida”, elogiou.






Link:




Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.