Anterior

Presidente da Câmara de Vereadores agradece por votação e reafirma compromisso com o povo

20/11/2020

Anterior

Próxima

Previsão é de chuva no sábado e sol no domingo no Sertão alagoano

21/11/2020

Próxima
20/11/2020 - 19:00
Prefeito eleito de Olivença concede entrevista a Radio Correio do Sertão: ‘serei o prefeito de todos’

Jó Dionísio (PL) disse que as portas da Prefeitura estarão abertas para quem votou e quem não votou: ‘se algum servidor não atender quem não votou em mim, será exonerado’.
Por: Redação Sertão na Hora
 Foto: Jikelme Félix 

O prefeito eleito da cidade de Olivença, Jó Dionísio (PL), concedeu uma entrevista ao programa Bom Dia Cidade, da Rádio Correio do Sertão 100,9 FM, durante a manhã desta sexta-feira (20). Ele iniciou a entrevista falando de sua gratidão ao povo oliventino e agradecendo aos 3.892 votos que obteve no pleito que ele resumiu como o mais difícil da história.

“Tenho eterna gratidão ao povo oliventino. Venceu a democracia, a eleição foi dura, de muitas Fake News, ameaças, ataques, o mais importante é que veio a vitória na eleição mais difícil da história”, ressaltou.

Jó comentou que Olivença chegou ao patamar de cidade de guerra e lembrou que durante o domingo da eleição, a cidade tinha dois helicópteros, a Polícia Federal o Exército, a Força Tarefa, a Caatinga [COPES] fazendo a segurança.

O prefeito eleito disse que vai priorizar todas as áreas, para em seu Governo, fazer a mudança que o povo oliventino deseja.

O novo gestor pediu para que todos desarmassem os palanques, pois será o prefeito de todos. “A todos oliventinos, quem votou e quem não votou em min, as portas estarão abertas para todos. Eu preguei a mudança e esse é o ponto de partida”. Jó ainda foi além e disse que se um servidor deixar de atender a necessidade de um cidadão que não votou nele, ‘será exonerado’.


Sobre a Câmara de Vereadores, Jó disse que os vereadores não podem fazer a política do quanto pior melhor e que precisa e vai contar com toda Câmara, apesar de que seu partido só fez 3 vereadores. “Se não houver um trabalho integrado do Legislativo e Executivo, só quem vai perder é o povo”, frizou.

Uma das perguntas do radialista Jáiro Campos, “como foi entrar na política?”, acabou tendo uma resposta surpresa. Jó respondeu que nunca sonhou entrar na política e ‘pensou até que seria padre”.

Em 2012, Jó disse que as pessoas procuraram ele para ser seu representante na Câmara e ele acabou aceitando a ideia. “Coloquei em minha mente, eu seria vereador para desempenhar meu papel e ser credenciado para prefeito”.

Sobre a transição, Jó comentou que montou a equipe de transição para iniciar a transição e não quer perder o tempo, porque ele entende que é empregado do povo e vai trabalhar incansavelmente para que 1º de janeiro a nova equipe entre trabalhando.







Link:




Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.